HidrogenIST: VEJA O VÍDEO AQUI!

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Maria da Graça Carvalho, eurodeputada portuguesa, venceu este mês o prémio de melhor deputado  ao Parlamento Europeu 2011 na área da Investigação e Inovação.
 
Na cerimónia de entrega dos prémios, a eurodeputada declarou que o prémio atribuído se trata de uma "vitória" da Comissão de Indústria, Investigação e Energia e da Comissão dos Orçamentos do Parlamento
Europeu, das quais é membro.
 
Maria da Graça Carvalho defendeu também que a investigação "é essencial para o futuro da Europa e que por este motivo, precisamos de programas simples e bem financiados com as prioridades certas". A
concluir, recordou que estas têm sido as suas cruzadas no último ano.
 
Os Prémios de Melhor Deputado ao Parlamento Europeu, é uma iniciativa da revista The Parliament Magazine. Com três finalistas em cada uma das 16 categorias, Maria da Graça Carvalho foi escolhida pelos restantes eurodeputados.
 
Na qualidade de membro efectivo da Comissão de Indústria, Investigação e Energia do Parlamento Europeu, Maria da Graça Carvalho foi responsável pela Simplificação dos Programas de Ciência e Inovação,
cujo relatório foi adoptado na sessão plenária de Novembro de 2010 com o apoio de todos os grupos políticos. No documento foram apresentadas 71 recomendações com o objectivo de tornar a participação no actual Sétimo Programa-Quadro de Investigação da UE mais atractiva e mais acessível para os melhores investigadores e para as empresas mais inovadoras, sobretudo para as pequenas e médias empresas (PME).
 

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Novo aeroporto de Berlim testa Opel HydroGen4


A Opel está a alargar o seu programa de testes em condições reais com automóveis com pilha de combustível. O vice-presidente da Opel Volker Hoff, fez a entrega formal de uma unidade HydroGen4 aos Aeroportos de Berlim.

«Este protótipo avançado, alimentado a hidrogénio, vai contribuir para recolhermos ainda mais
dados sobre a utilização diária desta tecnologia futurista», explicou Hoff. «Esta é mais uma iniciativa no âmbito do programa Clean Energy Partnership. O BER é um parceiro ideal já que possui o primeiro posto de abastecimento do mundo que é neutro do ponto de vista de CO2. O hidrogénio verde deste posto de abastecimento da Total é produzido a partir de energia eólica fornecida pela Enertrag. Ambas as empresas, Total e Enertrag, são também parceiras do nosso programa de testes», esclareceu ainda o responsável da Opel, que está a realizar testes em situações reais de utilização de automóveis a pilha de combustível decorre desde 2008.

Manfred A. Körtgen, director-geral da BBI, empresa responsável pela operação dos aeroportos de Berlim, sublinhou, em comunicado, que a eficiência energética e a sustentabilidade são os objectivos dos aeroportos de Berlim. «Pretendemos tornar o novo aeroporto de Berlim Brandemburgo no mais moderno aeroporto da Europa, sustentado na liderança em protecção ambiental e dos seus recursos. Obviamente, isso aplica-se também à frota que utilizamos no aeroporto, privilegiando a propulsão alternativa. A nossa colaboração com a Opel e o teste de longa duração que vamos realizar com o HydroGen4 a hidrogénio dá-nos a grande oportunidade de comprovar as vantagens desta nova tecnologia de propulsão na utilização diária no aeroporto.»

O novíssimo aeroporto de Berlim Brandemburgo (BER) estará totalmente operacional no dia 3 de Junho de 2012 e substituirá os actuais aeroportos de Tegel e de Schönefeld. Além do BER, participam no programa de testes empresas e entidades como o ADAC, Allianz, Axel Springer AG/Bild, Coca-Cola, Hilton, Linde, Pace, Schindler, Veolia e NH Hotel Friedrichstrasse, utilizando unidades Opel HydroGen4 nas suas frotas. O programa conta também com o envolvimento de instituições públicas como o Gabinete Federal do estado de Hesse. O Clean Energy Partnership é um projecto promovido pelo Ministério Federal dos Transportes, Construção e Urbanismo que coloca em evidência a utilização diária do hidrogénio como combustível para a mobilidade. Este programa de desenvolvimento é o maior do género à escala europeia.

O Opel HydroGen4 é a versão mais recente que resulta da investigação da Opel e da General Motors no domínio da pilha de combustível a hidrogénio. A pilha é constituída por um conjunto de 440 células ligadas em série que geram electricidade para alimentar um motor eléctrico síncrono. Com 73 kW (100 cv) de potência, este motor consegue acelerar de 0 a 100 km/h em 12 segundos e atingir a velocidade máxima de 160 km/h.

O automóvel possui três depósitos com capacidade para um total de 4,2 kg de hidrogénio armazenado a alta pressão, facultando uma autonomia até 320 quilómetros. Os depósitos são construídos em materiais compósitos de carbono. O reabastecimento de hidrogénio demora apenas três minutos graças à pressão de funcionamento a 700 bar.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Tecnologias do hidrogénio precisam de mecanismos de financiamento para entrar no mercado


A Europa chegou a uma fase decisiva para alcançar os seus objectivos de descarbonização até 2050, sendo que o hidrogénio e a tecnologia de células de combustível são fundamentais para alcançar estes objectivos. Na quarta reunião de stakeholders da Fuel Cell and Hydrogen Joint Undertaking (FCH JU), que teve lugar de 22 a 23 de Novembro em Bruxelas, chegou-se à conclusão que ainda são necessários mecanismos de financiamento adequados e regulamentares para superar os obstáculos remanescentes à implantação destas tecnologias e encorajar à adopção destas tecnologias inovadoras.

Até agora têm sido feitos investimentos significativos por parceiros industriais, de pesquisa, e entidades políticas no sentido de promover o desenvolvimento tecnológico e sua entrada no mercado. Mas com recursos financeiros limitados e um clima de investimento sob pressão, tornou-se essencial «uma acção concertada entre todos os intervenientes para promover uma integração bem sucedida de células a combustível e hidrogénio na energia europeia e sistema de transporte.

Durante a Assembleia Geral, todas as áreas da indústria e investigação, bem como decisores políticos da UE e nacionais debateram a necessidade de fazer a ponte entre os projectos de demonstração e a implementação comercial destas tecnologias limpas, bem como sobre a partilha dos recursos e políticas.

«As forças de mercado por si só não vão sustentar o desenvolvimento destas tecnologias, para que possam competir com sucesso com as actuais. Um compromisso forte e determinado das instituições públicas e do sector privado em conjunto é essencial para apoiar a implantação de aplicações e produtos inovadores com benefícios energéticos e ambientais. Todo o sector formalizou a sua tecnologia e ambição financeira de contribuir para a energia da Europa e os objectivos de baixo carbono até 2020», avançou Pierre-Etienne Franc, presidente do conselho directivo do agrupamento indústria do FCH JU.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Novo Programa-Quadro de investigação na Europa põe em risco objectivos para 2020



A Comissão Europeia revelou hoje o "Horizonte 2020", a sua proposta de novo Programa-Quadro para a Investigação e Inovação para os sete anos de 2014 a 2020.

De acordo com o documento, os fundos para a energia não-nuclear vão duplicar mas, ainda assim, não são suficientes para financiar o que a Comissão Europeia diz que é necessário para atingir os seus objectivos para 2020. Toda a energia não-nuclear recebe apenas 7,5 por cento do orçamento de pesquisa - 6,5 mil milhões de euros de um total de 87.7 mil milhões. O nuclear só recebe 1,8 mil milhões de euros para apenas cinco anos, no âmbito do Euratom, bem como fundos adicionais para o ITER.

A investigação para as tecnologias de baixo carbono (contido no SET Plan, como parte dos 6,5 mil milhões de euros para a energia não nuclear) deverá «castigada» com a proposta publicada hoje. Também a indústria eólica europeia contava com 1,3 mil milhões de euros de financiamento comunitário para investigação, mas o anúncio de hoje torna este valor impossível. Mesmo a totalidade dos 6,5 mil milhões para a energia não-nuclear (do qual o SET Plan é apenas uma parte) não é suficiente para cobrir todas as necessidades do SET Plan.

A Comissão da «Proposta de Regulamento sobre Horizonte 2020» reconhece que "os recursos necessários para implementar o SET Plan na íntegra foram estimados em 8 mil milhões de euros por ano nos próximos 10 anos."

Veja a proposta na íntegra aqui 

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Comissão Europeia prepara Centro de Investigação e Conhecimento em Energia


A Comissão Europeia está a preparar um Centro de Investigação e Conhecimento em Energia (ERKC), um recurso de informações exclusivas sobre a investigação energética em toda a Europa que terá uma plataforma online. O foco no desenvolvimento de tecnologias de baixa emissão de carbono de energia é crucial para a UE conseguir reduzir significativamente as emissões de gases com efeito estufa e, ao mesmo tempo, garantir a segurança de abastecimento de energia e competitividade.

No entanto, as informações necessárias e dados relevantes sobre a ampla gama de pesquisa de energia e programas de inovação e projectos é «fragmentada e dispersa», segundo o SETIS (plataforma de informação do SET PLAN. «Hoje é muito difícil obter uma visão clara das actividades correspondentes ao nível da UE, dos Estados-Membros e do sector privado.

Assim, esta plataforma vai ajudar a colmatar esta lacuna de informação, recolhendo e organizando informações validadas e referenciadas em programas de investigação energética, projectos e seus resultados em toda a UE e fora dela.

O ERKC irá melhorar o acesso à energia e aos conhecimentos de investigação, permitindo que sejam oportunamente explorados e utilizados em toda a UE, além de incentivar o aumento do ritmo da inovação. A ideia é ainda analisar tendências em actividades de investigação da energia a nível nacional e europeu, possibilitando análises temáticas e recomendações de políticas a partir dos resultados do projecto agregado, e fornecer uma plataforma para pesquisa de energia da Europa comunitária.

Para desenvolver esta plataforma de informação a comissão está a desenvolver um questionário. Veja em  http://www.surveymonkey.com/s/ERKC
Para mais informações consulte http://setis.ec.europa.eu/welcome-to-setis/newsroom-items-folder/setis-online-energy-research-knowledge-centre-erkchttp://setis.ec.europa.eu/welcome-to-setis/newsroom-items-folder/setis-online-energy-research-knowledge-centre-erkc

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Livro Branco sobre Transportes: hidrogénio depende de Estados-membros

O Comité do Parlamento Europeu dos Transportes e do Turismo discutiu numa reunião de Setembro a consideração de um projecto de relatório apresentado pelo deputado Mathieu Grosch. O relatório foi apresentado com a inclusão de veículos movidos a hidrogénio como uma opção que deve ser decidida pelos Estados-membros, juntamente com outras opções disponíveis.

O relatório explica que «o Parlamento Europeu deve ser tecnologicamente neutro, pois cada fonte de energia alternativa tem características específicas e tem certas vantagens e desvantagens. Se os veículos eléctricos ou movidos a hidrogénio, biocombustíveis, combustíveis sintéticos, GLP ou biogás são usados ​​ou pode ser usado depende da forma de transporte próprios dos Estados-Membros. Na minha opinião, apenas uma mistura de fontes de energia pode fornecer soluções realistas e sustentáveis»

O deputado. Grosch propõe metas para reduzir as emissões de CO2 em 20 por cento no transporte rodoviário e 30 por cento no transporte aéreo e marítimo até 2020. O consumo de energia e ruído no sector ferroviário também deve ser reduzido em 20 por cento.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Governo cria Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia


É o próprio Primeiro-ministro Passos de Coelho a presidir ao Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia, criado a semana passada em Conselho de Ministros. O organismo consultivo terá como missão o aconselhamento e optimização das políticas de I&D.

O conselho deverá ser constituído «pelos melhores cientistas e empreendedores do País», pode ler-se na proposta de Orçamento de Estado de 2012. Para o próximo ano, o Governo quer apostar na investigação aplicada e transferência de tecnologia para o tecido empresarial através da introdução de novas medidas nos programas de formação de recursos humanos que estimulem o empreendedorismo dos investigadores e a sua integração nas empresas.

Do pacote de estímulo à I&D constam também alterações ao do modelo de financiamento das Unidades de Investigação. A ideia é a promover a excelência e a concentrar os apoios financeiros onde eles são cientificamente mais rentáveis, reduzindo a carga administrativa das avaliações institucionais, promovendo a iniciativa individual dos investigadores e incentivando a competitividade das instituições para o acolhimento dos investigadores e projectos de maior valor.
Para aumentar o emprego científico e a formação de recursos humanos qualificados prevê-se o lançamento de concursos nacionais para contratos de desenvolvimento de carreira de jovens Doutorados e para o recrutamento dos melhores cientistas nacionais e estrangeiros que queiram integrar o sistema científico nacional.

Deste modo pretende-se criar um corpo estável de investigadores de excelência no país seleccionando os melhores a nível nacional, promover a mobilidade dos investigadores permitindo-lhes trabalhar nas instituições que melhores condições ofereçam para o desenvolvimento dos seus projectos e para a competitividade das suas carreiras, ajustar as competências nas diferentes áreas do conhecimento à evolução das necessidades do país e estimular o emprego científico em Empresas, Laboratórios de Estado e Universidades, lê-se no Orçamento de Estado.

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Economia Verde em 2050 só com revolução energética

Será necessária uma Revolução Energética para se alcançarem as metas fixadas pela União Europeia para tornar a Visão 2050 da Economia Verde numa realidade, segundo um novo estudo da Oracle.

Conduzido pela Future Laboratory, o estudo Future of Energy que envolveu um painel de especialistas mundiais, aponta as questões relacionadas com a electricidade, que terão de ser resolvidas, bem como as tendências que lhe estão associadas, para transformarem as redes e a energia.

Este estudo analisa o papel que as redes inteligentes terão no cumprimento das metas de eficiência energética estabelecidas pela Estratégia de Baixo Carbono para 2050, pela União  Europeia, que exige um corte nas emissões de gases com efeitos de estufa entre os 80 e os 95 por cento, de modo a alcançarem-se níveis idênticos aos de 1990, até ao ano 2050.

O estudo destaca as questões relativas à  electricidade, que terão de ser resolvidas nas próximas quarto décadas, e as tendências que lhe estão associadas e que importa trabalhar para se alcançar o objectivo de descarbonizar a indústria e a sociedade.

A consultora The Future Laboratory recrutou um painel de especialistas a nível mundial - Europa, Médio Oriente e África (EMEA), incluindo Hans Martens (European Policy Commission), Will Pearson (Eurasia Group) e Monika Stajnarova (BEUC) -, para analisarem a forma como as metas fixadas em relação às emissões de carbono até 2050 podem ser cumpridas através do investimento comercial, do envolvimento dos consumidores e da liderança política. Estes especialistas apresentaram
também as suas visões sobre o papel que as tecnologias terão de desempenhar no futuro da energia inteligente.

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Secretária de Estado da Ciência fecha Seminário Internacional sobre Economia do Hidrogénio *


Leonor Parreira, secretária de Estado da Ciência, e Juvenal de Castro, antigo secretário-executivo da CIM do Alto Minho e actual secretário de Estado da adjunto do Ministro da Administração Interna, são esperados na 4ª edição do Seminário Internacional sobre Economia do Hidrogénio.

O evento, promovido pela AP2H2, em parceria com o LNEG, Instituto Politécnico de Viana do Castelo e Comunidade Intermunicipal de Alto Minho, tem como tema Advances in Hydrogen Energy Technologies e realiza-se entre amanhã e sexta-feira (10 e 11 de Novembro). 

Entre os conferencistas internacionais presentes estão Bert de Colvenar (Executive Director of the Fuel Cells and Hydrogen Joint Undertaking); M. Jesús Lázaro Elorri (Instituto de Carboquímica, Zaragoza); Paolo Fracas (PEMFLOW and Hydrogen and Fuel Cell Italian Association); Juan Gómez Valero (Air Liquide); Latchezar Nikolov Bozukov (LabTech); Alvin B. Sorkin (NASA); Ismael Aso (Centro Nacional de Experimentación en Tecnologías del Hidrógeno y las Pilas de Combustible).

* Nota posterior da organização: Por impossibilidade de agenda a representante do Governo não vai estar presente no evento

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Empresas de energia e de hidrogénio patrocinam seminário internacional de hidrogénio

 



Air Liquide, EDP, Fundação para a Ciência e Tecnologia, Multisector, Partex Oil & Gas e Câmara Municipal de Viana do Castelo são as entidades que se associaram ao 4º Seminário Internacional sobre Economia do Hidrogénio como patrocinadores.

O evento, promovido pela AP2H2, em parceria com o LNEG, Instituto Politécnico de Viana do Castelo e Comunidade Intermunicipal de Alto Minho, tem como tema Advances in Hydrogen Energy Technologies.

Vários especialistas internacionais apresentarão o estado da arte das várias áreas tecnológicas do hidrogénio com incidência na sua utilização como vector energético.

Entre os conferencistas confirmados estão Bert de Colvenar (Executive Director of the Fuel Cells and Hydrogen Joint Undertaking); M. Jesús Lázaro Elorri (Instituto de Carboquímica, Zaragoza); Paolo Fracas (PEMFLOW and Hydrogen and Fuel Cell Italian Association); Juan Gómez Valero (Air Liquide); Latchezar Nikolov Bozukov (LabTech); Alvin B. Sorkin (NASA); Ismael Aso (Centro Nacional de Experimentación en Tecnologías del Hidrógeno y las Pilas de Combustible).

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Air Liquide leva hidrogénio a conferência sobre gestão de frotas



A Air Liquide, associada da AP2H2, apresenta amanhã os seus projectos de aplicação de hidrogénio como combustível de veículos na Conferência “Estratégias Sustentáveis para a Gestão de Frotas”, que terá lugar no Hotel Fénix, em Lisboa.

Juan Gomez Valero, Director de Gases e Hidrogénio-energia da Air Liquide para Portugal e Espanha, vai falar sobre o “O papel do hidrogénio para o mercado de frotas”, explicando as mais valias do hidrogénio, a nível energético, ambiental e económico, na gestão de frotas.

O responsável irá também apresentar o Projecto HyChain, coordenado pela Air Liquide, que tem como grande objectivo o teste à escala real de 158 veículos urbanos de alimentação eléctrica com pilha de combustível de hidrogénio, em quatro regiões europeias (França, Espanha, Alemanha e Itália). O projecto quer iniciar uma nova etapa no sector dos transportes e promover o seu desenvolvimento sustentável através do hidrogénio.

«A inovação e o compromisso com o ambiente são dois dos valores-chave na cultura do Grupo Air Liquide. Nesse sentido, desenvolvemos tecnologias inovadoras e soluções sustentáveis, optimizando o uso do ar e dos recursos naturais do planeta. Na gestão de frotas essa preocupação não poderia ser diferente», explicou Juan Gomez Valero.

A Air Liquide tem mais de 50 anos de experiência em toda a cadeia do hidrogénio que vai desde a produção até à distribuição e desenvolvimento de aplicações relacionadas com este sector.

Para além do Projecto HyChain, a Air Liquide participou em numerosos projectos inovadores de aplicação hidrogénio-energia nos transportes, como o Challenge Bibendum, a volta à Europa do Nissan X-Trail e a participação no desenvolvimento do sistema de armazenamento do hidrogénio no primeiro avião da Boeing alimentado a pilha de combustível.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Sistema de hidrogénio armazena energia intermitente de parque eólico alemão


A cidade de Herten, na Alemanha, vai armazenar a energia produzida por um parque eólico através de uma solução com tecnologia de hidrogénio. A Hydrogenics Corporation, fabricante mundial de produtos a hidrogénio e células de combustível, foi seleccionada para fornecer a solução.

Localizado em North Rhine Westphalia, Herten é reconhecida não só como o principal «centro» alemão hidrogénio, mas também como pioneiro na electro-mobilidade, e desenvolvimento de projectos de energia renovável.

Pela incorporação de um sistema de armazenamento de energia com hidrogénio, a energia eólica excedente pode ser armazenada e utilizada quando, por exemplo, o vento não sopra. Para atender aos requisitos do projecto, a empresa irá fornecer uma unidade de produção de hidrogénio HySTAT™30 e um sistema de célula de combustível HyPM™ 50 kW, em 2012.

Esta combinação irá demonstrar a vantagem distinta de armazenamento de energia de hidrogénio com a sua capacidade de ser altamente escalável e capaz de armazenar quantidades significativas de energia por longos períodos de tempo com perdas pouco significativas. Do sistema de armazenamento, a energia será reintroduzida na rede como electricidade através de uma célula de combustível, ou ser usada para abastecer veículos sem emissões de carbono e outros dispositivos, tais como equipamentos industriais.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Especialistas internacionais mostram desenvolvimento das tecnologias do hidrogénio



Bert de Colvenar, presidente da  Empresa Conjunta de Pilhas de Combustível e Hidrogénio (FCH JU, da sigla em inglês); Marieke Reijalt, directora-executiva da Associação Europeia de Hidrogénio; e Alvin Sorkin, responsável pelo Centro de Avaliação Tecnológico para a Mitigação Ambiental, da NASA,  são alguns dos principais oradores na quarta edição do Seminário Internacional para a Economia do Hidrogénio, que vai ter lugar em Viana de Castelo a 10 e 11 de Novembro.

O evento, promovido pela Associação Portuguesa para a Promoção do Hidrogénio (AP2h2), Laboratório Nacional de Energia e Geologia (LNEG), Instituto Politécnico de Viana do Castelo, Comunidade Intermunicipal de Alto Minho, pretende assim discutir os avanços que se têm vindo a realizar nas Tecnologias do Hidrogénio.

O responsável da FCH JU, única parceria público-privada europeia criada para apoiar a investigação, desenvolvimento tecnológico e demonstração das células de combustível e tecnologias de energia de hidrogénio, que visa acelerar a introdução no mercado destas tecnologias, deverá abordar a temática dos fundos europeus para a investigação e inovação disponíveis nesta área.

Já a representante da associação europeia irá expor os projectos já em curso neste domínio. Numa perspectiva de aplicação prática das tecnologias do hidrogénio, o responsável da NASA irá demonstrar a aplicação de células de combustível a hidrogénio em sistemas móveis, nomeadamente de comunicação.

Gómez Valero, responsável ibérico pela tecnologia de hidrogénio na Air Liquide, dará a perspectiva industrial dos mercados emergentes em matéria de hidrogénio e células de combustível.  Ismael Aso, da Fundação do Hidrogénio de Aragão, Espanha,  irá mostrar como o hidrogénio pode ser complementar às energias renováveis, nomeadamente a eólica e o solar.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Subsíbios aos combustíveis fósseis aumentaram em 2010




As últimas estimativas da Agência Internacional de Energia, feitas no âmbito do World Energy Outlook 2011 que será lançado em 9 de Novembro, indicam que os subsídios aos combustíveis fósseis consumidos no mundo ascendeu a 409 mil milhões dólares em 2010, acima dos 300 mil milhões verificados em 2009. Quase metade deste total é gasto em subsídios para derivados de petróleo. 

Segundo a entidade, as mudanças nos preços internacionais de combustíveis são os principais responsáveis ​pelas diferenças nos custos da subsidiação nos últimos anos. O aumento do montante global de subsídios em 2010 acompanhou de perto o aumento acentuado dos preços internacionais de combustíveis.

Desde 2009, a AIE tem fornecido elementos para apoiar o G-20 no seu compromisso de "racionalizar e eliminar gradualmente a médio prazo os subsídios de combustível fósseis ineficientes que incentivam o consumo perdulário". Muitos países estão agora a prosseguir as reformas, mas muitos obstáculos económicos, políticos e sociais terão de ser superados para operarem ganhos duradouros, de acordo com a entidade. Esta análise visa demonstrar o impacto da remoção dos subsídios aos combustíveis fósseis nos mercados de energia, nas alterações climáticas e nos orçamentos governamentais.

Fatih Birol, economista chefe da Agência Internacional de Energia, explica alguns dos principais temas do Energy Outlook 2011 World aqui.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

H2EV: chegaram os microcarros a hidrogénio



A Microcab, spin-off da Universidade de Coventry no Reino Unido, desenvolveu um carro movido a hidrogénio designado H2EV, em parceria com a Delta Motorsport e a Lotus.

O H2EV é um pequeno veículo de quatro lugares, com uma célula de combustível de 3 Kw que pode funcionar por 120 milhas antes de ser reabastecer. Mas facilmente poderá fornecer uma média de mais 100 milhas de outra forma. O carro é avaliado para ter uma velocidade máxima de 40 milhas por hora.

 Algumas das características de segurança do H2EV são os detectores de vazamento de hidrogénio a bordo e seus tiros do tanque de combustível resistentes. Uma vez que há zero emissões do H2EV, o veículo pode ser usado em ambientes fechados ou ao ar livre.

Parlamento europeu testa Hyundai ix35 até Março de 2012



O Hyundai ix35 - veículo eléctrico a célula de combustível (FCEV) foi escolhido pela Joint Technology Initiatives: Innovation in Action (FCH JU), para ser usado como um veículo de demonstração para testar e promover a tecnologia de célula de hidrogénio como combustível em ambiente real. O anúncio foi feito esta terça-feira, em Bruxelas.

Os ix35 FCEV serão disponibilizados para os membros do Parlamento Europeu, comissários, funcionários da UE e outros políticos como test drive até Março de 2012.

Maria da Graça Carvalho, eurodeputada e membro da Comissão de Indústria na FCH-JU, sublinhou que «os veículos de células de combustível, como o FCEV ix35, têm grande potencial para ajudar a combater as emissões de dióxido de carbono, reduzir a nossa dependência dos hidrocarbonetos e contribuir para crescimento económico. Tenho a certeza de que os meus colegas do Parlamento Europeu irão abraçar a oportunidade de testar a viabilidade da tecnologia de hidrogénio».

Chang Kyun Han, Presidente da Hyundai Motor Europe, acrescentou: «Estamos muito contentes com esta decisão. Apoiamos plenamente os esforços da FCH JU para promover os benefícios da tecnologia de hidrogénio e das células de combustível junto dos líderes políticos e formadores de opinião. O anúncio de hoje complementa o trabalho já realizado com outros órgãos governamentais em toda a Europa, e até 2012 esperamos operar mais de 30 Hyundai ix35 FCEV em todo o continente».

A decisão vem reforçar a comercialização de veículos a hidrogénio a células de combustível, mercado que se espera venha a abrir até 2015. O veículo da Hyundai abriu o Salão Automóvel de Genebra, em 2010, sendo que apresenta importantes inovações relativamente à geração anterior da Hyundai, incluindo uma melhoria de 55 por cento no driving range e uma redução de 80 por cento nos custos de produção.

A Hyundai tornou-se um líder mundial no desenvolvimento de tecnologia de células de combustível de hidrogénio, desde a introdução do Santa Fé FCEV em 2000, com um departamento especialmente dedicado à pesquisa com células de combustível no seu Eco Technology Research Institute, na Coreia.

No início deste ano, a Hyundai assinou um memorando de entendimento com o município de Copenhaga, na Dinamarca, para fornecer a infra-estrutura necessária para o fornecimento e uso de veículos a células de combustível no país.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Reino Unido inaugura primeira estação de abastecimento a hidrogénio


A Grã-Bretanha inaugurou a semana passada a primeira estação de abastecimento a hidrogénio comercial no Reino Unido, em Swindon, Wiltshire, na fábrica da Honda em South Marston.

A estação tem capacidade para encher de células de combustível e outros veículos abastecidos a hidrogénio com hidrogénio gasoso a 5.000 psi e 10.000 psi pressões. A bomba está instalada no recinto da Honda, mas está aberta a membros do público que foram submetidos a um curso de formação BOC segurança .

A estação Swindon é um passo significativo no caminho para o Reino Unido vir a desempenhar um papel no desenvolvimento de veículos com células de combustível. A falta de instalações de reabastecimento já havia impedido os fabricantes de automóveis, tais como a Honda e a Mercedes-Benz de experimentarem os seus veículos no Reino Unido.

A estação representa um investimento de mais de meio milhão de euros e possui uma reserva de pelo menos 200 kg de hidrogénio gasoso em garrafas BOC, sendo capaz de reabastecer o tanque 8.8lb/37.6-gallon no FCX Clarity da Honda - carro a célula de combustível a uma pressão de 5.000 psi - em cerca de quatro minutos, o que permite uma autonomia entre 250 e 270 milhas. A unidade também está preparada para reabastecer comerciais leves e autocarros.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Hidrogénio fornece energia renovável em espaços habitacionais


A McPhy Energy, empresa que trabalha no armazenamento de hidrogénio, desenvolveu uma solução que permite o armazenamento de energia de fontes renováveis para aplicação em espaços micro-residenciais. O sistema foi criado para a Universidade de Nottingham, na Grã Bretanha, no âmbito do projecto Creative Energy Homes(CEH)que visava motivar soluções energéticas limpas, de baixo custo e inovadoras paras espaços habitacionais.
 
 A empresa desenvolveu uma solução segura e sem impactos para o ambiente, que permitirá armazenar o excesso de energia produzida via sol e vento para as casas. Estas habitações compreendem uma variedade de tecnologias de baixo carbono, que inclui a produção de energia utilizando micro eólica, geotérmica e energia solar. A ideia é as casas serem completamente autónomas em termos energéticos.

O projecto prevê o armazenamento da energia excedente na forma de hidrogénio sólido em 4-MCP-N, um hidreto de magnésio (MgH2).

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Primeiro camião de classe 8 a hidrogénio estreia-se na Califórnia



O primeiro camião de classe 8 sem qualquer emissões de dióxido de carbono, graças às pilhas de combustível, fez a sua aparição mundial recentemente nas estradasportos de Los Angeles e Long Beach, nos EUA.

A Vision Industries entregou o camião à Total Transportation Services, empresa de transporte rodoviário nacional, no final de Julho para ser testado nos portos da Califórnia. O camião irá fazer rotas de curta distância, típico dos camiões em operação nos portos, nos próximos seis meses.

O veículo é alimentado por uma bateria que é recarregada por célula de combustível de hidrogénio, que gera electricidadeA Vision Industries possui uma tecnologia patenteada que combina a aceleração de um veículo movido a bateria eléctrica com a gama alargada de uma célula de combustível de hidrogénio.

Se tudo correr bem na fase de testes, a empresa concordou comprar uma frota de 100 camiões deste tipo, num custo de US $ 27 milhões. Após a compra, também terá a opção de comprar mais 300 camiões para um custo total de US $ 108 milhões.

segunda-feira, 25 de julho de 2011

PT e Galp querem aplicação móvel na eficiência energética


A Portugal Telecom e a Galp Energia lançaram um desafio à comunidade universitária e a microempresas para o desenvolvimento de aplicações móveis (para iOS e Android), que contribuam para a adopção de comportamentos que melhorem a eficiência energética e a mobilidade em geral.

O Innovation Challenge procura alargar o espírito inovador inerente à actividade da PT e da Galp Energia à comunidade científica, académica e empresarial. O concurso é composto por duas fases: a primeira respeita ao desenvolvimento de um conceito associado ao que os concorrentes pretendem desenvolver (a apresentar até 25 de Setembro); a segunda é relativa ao desenvolvimento da aplicação proposta e aprovada na fase anterior (entre 1 de Outubro e 6 de Novembro).

As inscrições são feitas em www.ptgalpinov.com.pt, sendo as equipas constituídas no máximo por três elementos. A apresentação final dos projectos realizar-se-á durante o Sapo Codebits em Novembro, evento nacional que reúne os melhores talentos portugueses emergentes na área de programação e
informática.

Os projectos vencedores receberão uma contribuição monetária (1º Classificado: 7500€; 2ºClassificado: 5000€ e 3º Classificado: 2500€) e verão as suas aplicações implementadas no mercado, sendo que os restantes classificados, até ao 20º, receberão produtos tecnológicos.

O desafio que a PT e a Galp Energia lançam à comunidade universitária e ao meio tecnológico emergente procura aproximar a realidade académica ao mercado empresarial e de consumo, dando corpo às ideias que potenciem a utilização da tecnologia sustentável em português.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Bruxelas dá 50 mil milhões de euros para infra-estruturas de transporte, energia e TIC

A Comissão Europeia apresentou um novo fundo que visa aumentar o valor pan-europeu de projectos de infra-estruturas. o Connecting Europe Facility conta com uma dotação de 40 mil milhões de euros, e outros 10 mil milhões do Fundo de Coesão, para uma lista preliminar de projectos de transportes, energia e TIC que tragam mais inter-conectividade a toda a Europa. A ideia é reforçar o crescimento e proporcionar um melhor acesso ao mercado interno e encerrar o isolamento de certas "ilhas" económicas.

O novo fundo foi apresentado a 29 de Junho, quando foi anunciado o quadro plurianual da Comissão da UE para 2014 -2020. Este conta com um orçamento total de 1,025 biliões de euros em compromissos (1,05 por cento do Rendimento Nacional Bruto da UE) e 972.2 biliões de euros (1 por cento do Rendimento Nacional Bruto da UE) em pagamentos.
o Connecting Europe Facility oferece oportunidades para o uso de ferramentas de financiamento inovadores para acelerar e assegurar mais investimento do que poderia ser alcançado apenas através de financiamento público. A Comissão irá promover o uso de títulos para antecipar a realização desses projectos importantes.

Os montantes substanciais para a coesão económica, social e territorial (376 biliões para todo o período) permitirão uma aproximação aos objectivos traçados para a Europa em 2020. Uma nova categoria de "regiões de transição" será introduzido, sendo que as novas condicionantes deverão garantir que o financiamento da UE é focado em resultados. Nesta perspectiva serão celebrados contratos de parceria com cada Estado-Membro para assegurar o reforço mútuo de financiamento nacional e da UE.

A Comissão propõe também fortalecer os programas de educação e formação profissional. Para superar a fragmentação dos actuais instrumentos propõe-se criar um programa integrado de 15,2 biliões de euros para educação, formação e juventude, com um foco claro no desenvolvimento de competências e mobilidade.

Também o investimento em investigação e inovação serão significativamente aumentados nos próximos sete anos. Uma estratégia comum da UE denominado "Horizonte 2020" no valor de 80 mil milhões de euros irá impulsionar a competitividade global da Europa e ajudar a criar os empregos e as ideias de amanhã. O encontro vai reunir todos os projectos nesta área para eliminar a fragmentação e certificar-se que projectos financiados pela UE complementam e ajudam a coordenar os esforços nacionais.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Bruxelas lança Fundo Europeu de Eficiência Energética



A Comissão Europeia lançou, a 1 de Julho, um Fundo para a Eficiência Energética (EEE-F, da sigla em inglês), como parte do Programa Energético Europeu para a Recuperação (PEER).

O novo fundo vai alocar cerca de 146 milhões de euros a partir do EEPR (3,7 por cento do EEPR total) para projectos de eficiência energética e energias renováveis. Esta contribuição da UE provém de fundos mobilizados para a EEPR em 2009, que não puderam ser imediatamente destinados a projectos nos sectores de infra-estrutura de energia eólica, off-shore e captura e armazenamento de carbono. A criação do fundo resulta de um acordo entre o Conselho de Ministros e o Parlamento Europeu em Dezembro de 2010, num proposta da Comissão Europeia.

O EEE-F vai financiar projectos em economia de energia, eficiência energética e energia renovável, especialmente em ambientes urbanos, atingindo pelo menos 20 por cento de economia de energia ou redução de emissões de CO2.

O fundo vai oferecer uma ampla gama de produtos financeiros, como empréstimos seniores e juniores, garantias ou participação accionistas.

O montante inicial era de 265 milhões de euros, além da contribuição da UE (125 milhões de euros), sendo que o Banco Europeu de Investimento vai investir 75 milhões de euros, Cassa Depositi e Prestiti SpA (CDP, Itália) 60 milhões de euros e o gestor de investimentos designado (Deutsche Bank) 5 milhões de euros. Outras instituições financeiras a nível dos Estados-Membros foram convidados, podendo aderir mais tarde. Além disso investidores do sector privado são esperados para alavancar a contribuição do sector público.

Cerca de 20 milhões de euros do financiamento serão disponibilizados como subsídios para os serviços de desenvolvimento de projectos (assistência técnica) relacionados com a preparação técnica e financeira dos projectos

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Mercedes vai iniciar rede europeia de estações de abastecimento a hidrogénio


Vai ser muito difícil implementar as infra-estruturas necessárias para os veículos movidos a hidrogénio. Esta é a grande conclusão da F-Cell Tour, viagem "à volta do mundo" patrocinada pela Mercedes com três modelos B-Klassea F-Cell, para teste do seu primeiro veículo a fuel cell.

Os veículos demonstraram funcionar bem, mas o
principal problema é a necessidade de postos de abastecimento de hidrogénio. Estes exigem investimentos, desenvolvimento e posicionamento estratégico dos investidores. A tarefa é difícil, mas a Daimler, proprietária da Mercedes, está empenhada em fazer dos postos de hidrogénio um lugar comum em toda a Europa.

A Daimler está focada em começar o desenvolvimento de estação de abastecimento a hidrogénio na Alemanha e, a partir daí, criar uma rede de estações de abastecimento desde os Alpes até ao mar do Norte. Para tal a Daimler pretende estabelecer uma parceria com o Grupo Linde, líder mundial no fornecimento de gases especiais e uma das empresas de engenharia mais rentáveis ​​do mundo. Outros parceiros incluem a EnBW, a gigante do petróleo OMV, e companhia francesa Total.

Escola de Ansião apresenta Taxi Fuel Cell


Um carro movido a hidrogénio foi a ideia vencedora, na categoria do ensino secundário, na final intermunicipal do Concurso de Ideias “Gestão de Resíduos e Empreendedorismo nas Escolas”, que decorreu no Centro de Negócios de Ansião, em Junho.

Cada
município (Ansião, Alvaiázere, Condeixa, Pombal e Penela) apresentou as suas melhores ideias, sendo que o 1º lugar nesta categoria foi atribuído a um grupo de três alunos do Pólo de Penela da Escola Tecnológica e Profissional de Sicó do Curso de Energias Renováveis, que deram à ideia o título “Taxi Fuel Cell”. O projecto baseia-se na criação de um carro de raiz em hidrogénio, que será abastecido por água sendo separada no motor por electrólise.

O 1º lugar na categoria do 3º ciclo foi directo para a ideia “Sapatos em 2 Pés”, da Escola Básica Gualdim Pais, de Pombal, que consiste na criação de uma plataforma online de venda de sapatos para mulheres em segunda mão. Os sapatos usados serão renovados e postos à venda a preços mais acessíveis. Depois do produto recuperado este será fotografado e a sua imagem colocada no site de compra e venda online.

Este projecto envolveu, no ano lectivo 2010/2011, cinco dos seis municípios da Associação de Desenvolvimento Terras de Sicó – Alvaiázere, Ansião, Condeixa, Penela e Pombal. Nele estiveram envolvidos cerca de 1500 alunos, distribuídos por 25 estabelecimentos de ensino e apoiados por 250 professores.

No total, das 128 equipas candidatas, 60 estiveram presentes no concurso, constituídas por cerca de 170 jovens empreendedores.

segunda-feira, 30 de maio de 2011

William Halal: hidrogénio está entre as tecnologias dos próximos 25 anos


William Halal, professor da Universidade de George Washington, prevê que a crise actual possa ver a luz ao fundo túnel em 2015 e fala das oportunidades empresariais que nascerão da revolução tecnológica.

O futurista ligado à World Future Society fala, num artigo publicado esta semana pelo Expresso, dos cenários que 130 peritos "votaram" com base na evolução de 70 tecnologias nos próximos 25 anos A maioria dos peritos inclinou-se para um período crítico entre 2020 e 2025 onde se vai jogar o arranque de uma idade de ouro ou o regresso a uma crise profunda.

«Vamos entrar num novo ciclo de crescimento por volta desta data», referiu. Por trás das oportunidades de negócio que espreitam está uma aglomeração de novas tecnologias, entre as quais se encontram os carros movidos a hidrogénio, em 2030.

Aliás, o período entre 2020 e 2025 pode ser o começo da afirmação de uma era “pós-combustíveis fósseis”, com o grupo das energias alternativas a passar dos 10 para os 30 por cento do uso total de energia.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Hidrogénio nas "Opções Energéticas para Portugal"

O presidente da AP2H2 assina um artigo na obra "Opções Energéticas para Portugal - produção sustentável e eficiente", da Juventude Social Democrata, editado o mês passado pela Pactor. José Campos Rodrigues assina o artigo com o título "Contributo do hidrogénio para uma mobilidade sustentável", onde evidencia o papel que o hidrogénio pode ter como combustível em motores de combustão interna e em pilhas de combustível.

O director da associação sublinha ainda como o hidrogénio pode ser enquadrado na actual aposta da mobilidade eléctrica. «A solução passa pela mobilidade eléctrica, com a utilização de vectores secundários de armazenamento de energia como "combustível" (...) O hidrogénio é um alternativa competitiva, tendo como principal limitação as exigências de criação de uma logística de produção, armazenamento, transporte de distribuição, com uma tecnologia ainda em fase emergente e em desenvolvimento (o mesmo se aplicando às pilhas de combustível», refere.

Campos Rodrigues conclui afirmando que poderá prever-se «num prazo relativamente curto (2015/2020) que haverá soluções de armazenamento ou board de hidrogénio, permitindo raios de acção ou tempos de abastecimento (e custos) equivalentes às soluções a que hoje nos habituámos com os combustíveis tradicionais», viabilizando o veículo eléctrico sem as limitações das baterias.

É esta a expectativa que marca a estratégias dos construtores automóveis no médio prazo, explicando os investimentos que se têm vindo a realizar nos veículos eléctricos a hidrogénio, remata.

Mas o hidrogénio vem à baila neste mesmo livro, desta feita, no testemunho de Carlos Alegria, professor do Instituto Superior Técnico, com o título "Projecto Eólico Offshore, Energia das Ondas, Aquicultura e Hidrogénio».

O professor evidencia o projecto que tem como principal vertente a produção de energia através da instalação de torres eólicas offshore, que seria a base de um empreendimento de fins múltiplos que congregue outras valências do mar. A energia eléctrcia produzida neste parque poderia ser aproveitada para produção local de hidrogénio, e numa segunda fase, instalar uma plataforma para alimentação de combustívelaos barcos, que, para esse fim, dispensariam então a entrada no porto.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

EC PCH lança call para apresentação de propostas até Agosto


A empresa comum de Pilhas de Combustível e Hidrogénio (Fuel Cells and Hydrogen Joint Undertaking), cujo orçamento total ascende a cerca de 1000 milhões de euros para serem investidos até 2013, publicou a 3 de Maio a sua quarta call para apresentação de propostas.

No âmbito dos objectivos europeus para uma economia de baixo carbono, a contribuição destas tecnologias "verdes" é considerada essencial para enfrentar os desafios actuais, manter a competitividade da UE e criar emprego.

O prazo para a apresentação de propostas termina a 18 de Agosto. A avaliação das propostas será realizada em Setembro e os projectos seleccionados para as negociações do contrato no final de Dezembro de 2011.

A empresa comum de Pilhas de Combustível e Hidrogénio foi criada a 14 de Outubro de 2008 como o primeiro exemplo ilustrativo de um instrumento de parceria público-privada no âmbito do Plano Estratégico Europeu para as Tecnologias Energéticas (SET-Plan), pilar tecnológico da energia da UE e da política climática. Autónoma desde 15 de Novembro de 2010, a EC PCH tem como objectivo acelerar o desenvolvimento de células de combustível e tecnologias do hidrogénio na Europa, de modo a permitir a sua comercialização entre 2010 e 2020.

Actualmente aderiram à entidade europeia 54 empresas, entre multinacionais e PME representadas pelo Agrupamento Industrial (NOVO-IG), bem como mais de 55 universidades e institutos de pesquisa, representadas pelo Agrupamento de Investigação (N. ERGHY), envolvendo mais de 2 mil investigadores no campo das células a combustível e hidrogénio.

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Manifesto por uma nova política energética com segunda edição


Os autores do «Manifesto por uma nova política energética», de há um ano, vão na próxima quinta-feira relançar o tema, com uma segunda edição do documento, noticia hoje o Jornal de Negócio.

O manifesto, que será apresentado em Lisboa com alguns dos 40 subscritores – Mira Amara, ex- ministrol, e João Duque, presidente do ISEG, reforça a ideia de a aposta nas renováveis deve ser repensada, com base no estudo feito pelo BPI sobre o tema, e nas exigências do acordo para a concessão da ajuda externa a Portugal.

Consulte aqui o documento.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Novos catalisadores permitem produção de hidrogénio a temperatura ambiente

Uma equipa da Ecole Polytechnique Fédérale de Lausanne (EPFL), Suíça, liderada pelo professor Hu Xile, descobriu que um catalisador de molibdênio-base permite a produção eletrolítica de hidrogénio a temperatura ambiente, além de ser barato e eficiente.

Um artigo sobre este trabalho foi publicado na revista RSC Ciências Químicas. Os resultados fornecem novas oportunidades para o desenvolvimento de tecnologias renováveis ​​e de produção económica de hidrogénio.

No seu estudo, Hu et al. explora quatro filmes diferentes de sulfeto de molibdênio, sendo que os novos catalisadores exibem muitas características técnicas vantajosas. São estáveis ​​e compatíveis com as condições ácida, neutra ou básica em água. O estudo constatou que estes filmes amorfos de sulfeto de molibdênio estão entre os mais activos catalisadores e
não preciosos de hidrogénio.

quarta-feira, 4 de maio de 2011

MOBI.E Maps localiza postos de carregamento em Portugal


O blogue LX Sustentável (www.lxsustentavel.com) disponibiliza, a partir de hoje, uma nova funcionalidade – o MOBI-E Maps. Através desta ferramenta, resultante da parceria estabelecida entre a Siemens, a INTELI, o Programa MIT Portugal e o MOBI.E, entidade promotora e dinamizadora da mobilidade eléctrica em Portugal, os visitantes do blogue vão ter ao seu dispôr uma forma rápida e cómoda de identificar postos de carregamento eléctrico a nível nacional antes de saírem de casa.

O MOBI-E Maps vai permitir também identificar qual o percurso mais rápido para um ponto de destino, passando por postos de carregamento eléctricos ao longo da rota escolhida, indicando as distâncias entre os mesmos. Para tal, basta definir a origem, o destino pretendidos e decidir o seu percurso.

Esta nova funcionalidade tem ainda a vantagem de automaticamente realizar o cálculo sobre as emissões de CO2 para o percurso escolhido e fazer o comparativo deste indicador numa viatura eléctrica e num veículo com motor de combustão. Os resultados poderão ajudar a optar não só pela viatura a utilizar para efectuar a viagem como também a ter consciência do impacto das suas decisões no ambiente.

Disponível também no site do MOBI.E, esta ferramenta irá apresentar brevemente novas funcionalidades por via da parceria existente entre a Siemens, a INTELI e do Programa MIT Portugal para o desenvolvimento deste Projecto.

terça-feira, 3 de maio de 2011

Portugal produz primeiro carro eléctrico


O FUTI é o automóvel eléctrico de fabrico português, que está a comercializado desde Junho de 2009. Fabricado em Leiria, só o motor é de origem francesa.

Este pequeno citadino alia as suas dimensões a um conceito ecológico inovador, tornando-o num automóvel único para uma geração amiga do ambiente. Com o seu motor eléctrico, o FUTI é totalmente independente de energias fósseis contribuindo para um ambiente limpo.

Futi pode ser útil para autarquias ou forças de segurança, por exemplo, dado que é um veículo silencioso. Portugal e Inglaterra (onde já existe escritório) são os mercados onde a empresa está a apostar.

Os veículos são construídos maioritariamente com materiais recicláveis, o que significa que no fim do seu ciclo de vida a quantidade de resíduos não recicláveis será zero.

A autonomia do Futi F6 é de 120km. Possui um motor eléctrico de 12 KW/48v que lhe permite atingir os 48km/h. Possui ainda tecnologia start/stop que pára o motor quando está parado.

Além do equipamento de série, pode ainda contar com os seguintes acessórios opcionais: GPS, cadeirinha para criança, película solar para protecção de raios UVA E UVB certificada e homologada e ainda um rádio.

segunda-feira, 25 de abril de 2011

7º Programa-Quadro‏ abre oportunidades de financiamento para a energia



O Gabinete de Promoção do 7º Programa-Quadro de I&DT (GPPQ) está a promover sessões de informação do tema Energia do 7º Programa Quadro (7ºPQ). Estas sessões têm como objectivo divulgar junto da comunidade científica, tecnológica e empresarial as oportunidades de financiamento no âmbito do tema Energia do programa Cooperação.




O próximo concurso para submissão de candidaturas para projectos de I&DT em consórcio internacional está previsto ser lançado, pela Comissão Europeia, a 20 de Julho de 2011 (data provisória).




As próximas sessões de informação do tema energia em Portugal têm lugar a 10 de Maio (10h00-13h00), no Pavilhão do Conhecimento, Lisboa – o programa está disponível em http://www.gppq.mctes.pt/sessoes_ficha.php?id=239 ; inscrições: http://www.cienciaviva.pt/actividades2010/InscricoesEnergia/index.asp ; a 11 de Maio – (hora e local a confirmar), em Évora; a 19 de Maio – (14h00-17h00), na Universidade do Minho, Braga.




A presença nas sessões é gratuita, mas sujeita a inscrição para o email / link indicado no programa. Mais informações sobre as próximas sessões do GPPQ podem ser encontradas em: http://www.gppq.mctes.pt/sessoes.php




As próximas sessões de informação do tema energia no estrangeiro vão decorrer a 12 de Maio, em Bruxelas – Infoday Hidrogénio e Pilhas de Combustível (participação grátis): http://www.fch-ju.eu/event/public-information-session-fch-ju-2011-call-proposals; a 19 de Maio, em Berlim – Networking Event da iniciativa Fuel Cells and Hygrogen (o evento tem um custo de 80€ excepto para os membros dos grupos NEW-IG e N.ERGHY): http://www.fch-ju.eu/event/fch-ju-brokerage-event-2011; a 7 Julho, em Bruxelas - Infoday Energia organizado pela Comissão; a 11 e 12 de Julho, em Bruxelas – Infoday das Parcerias Público-Privadas (PPP), nomeadamente a Energy Efficient Buildings, organizado pela Comissão.

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Livro promove hidrogénio em países ibero-americanos












«Potencialidades del hidrogenio como vector de energia em Iberoamérica» é uma obra que reúne textos de pesquisadores da Espanha, Brasil e Argentina, que integram a Rede de Hidrogênio Cyted (Programa Ibero-Americana de Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento).

Com rigor científico, a publicação analisa pontos fortes e fracos, oportunidades e ameaças decorrentes da aplicação nos seus países das novas tecnologias associadas ao hidrogénio, tais como a célula de combustível. O objectivo da obra é servir como material de referência para os governos na tomada de decisões sobre energia e no sector ambiental.

A Rede de Hidrogénio, responsável pela publicação, reúne mais de 200 pesquisadores, em 11 países ibero-americanos. Os estudos do grupo têm como objectivo discutir avanços e perspectivas do uso do hidrogénio nessas regiões e articular as potencialidades dos grupos de pesquisa destes países para a promoção do hidrogénio.

sábado, 9 de abril de 2011

Roadmap para uma Área Única Europeia de Transportes



A Comissão Europeia apresentou, a 28 de Março o seu novo Livro Branco "Roadmap para uma Área Única Europeia de Transportes - Rumo a uma economia competitiva e de recursos do sistema de transportes eficiente" (COM2011/144).


O documento pressupõe um roteiro de 40 iniciativas concretas para construir um sistema de transporte competitivo na próxima década que irá aumentar a mobilidade, remover as principais barreiras em áreas essenciais e impulsionar o crescimento evo emprego.


A UE também anunciou a ambição de baixar metade do número de veículos convencionais alimentadas em cidades até 2030, reduzir a dependência da Europa em relação ao petróleo importado e reduzir as emissões de carbono nos transportes em 60 por cento até 2050. A UE incluiu uma referência à sua finalidade de organizar a interface entre a longa distância e o transporte de mercadorias "última milha" de forma mais eficiente, indicando que "isso pode ser feito com camiões com baixas emissões nas zonas urbanas.


A utilização de hidrogénio, electricidade e tecnologias híbridas não só reduzirá as emissões atmosféricas, mas também o ruído, permitindo que uma parcela maior do transporte de mercadorias dentro das áreas urbanas tenha lugar durante a noite. A Comissão também informou que irá analisar a possibilidade de um quadro europeu de apoio à implementação progressiva de planos de mobilidade urbana nas cidades europeias e para integrar a mobilidade urbana numa possível Parceria para a Inovação de «Cidades Inteligentes».

terça-feira, 5 de abril de 2011

Veículos a hidrogénio da Mercedes dão a volta ao mundo



Para confirmar a maturidade técnica da tecnologia de células de combustível, bem como a sua adequação para a utilização diária dos veículo, a Mercedes-Benz lançou a F-CELL World Drive. Com saída de Estugarda, a 30 de Janeiro, três Mercedes-Benz Classe B com motores de células de combustível e sem emissões de CO2 iniciaram uma circum-navegação mundial em 125 dias.

Viajando através de quatro continentes e 14 países, os três veículos irão dar uma volta ao planeta, terminando a sua "volta ao mundo" de novo em Estugarda. Num percurso que cobre 30.000 quilómetros, os veículos irão demonstrar que são meios de transporte seguros e fiáveis em longas distâncias e numa grande variedade de estradas e condições atmosféricas. Em Fevereiro, os participantes passaram por Portugal.

Com esta iniciativa a empresa terá também a oportunidade de reforçar a necessidade política de estabelecer uma infra-estrutura global de postos de abastecimento para veículos com células de combustível.

Os veículos eléctricos com células de combustível combinam os benefícios de uma longa autonomia com um tempo de reabastecimento curto. Como resultado, conseguem fazer uma contribuição para a mobilidade sem emissões locais, não apenas em zonas densamente populadas, como também em estradas de longas distâncias.

Adicionalmente, para além da sua utilização em veículos de passageiros, os motores com células de combustível também podem ser utilizados numa variedade de outros tipos de veículos, tais como autocarros urbanos.

A Mercedes-Benz reconheceu este potencial numa fase anterior, lançando o primeiro veículo com motor de células de combustível, o NECAR 1, em 1994. Desde então, a empresa fez progressos significativos no desenvolvimento desta tecnologia, melhorando-a para atingir um nível muito elevado de maturidade técnica.

O Grupo Linde irá actuar com parceiro exclusivo da F-CELL World Drive, o qual, graças aos seus conhecimentos sobre hidrogénio e presença global, pode garantir um fornecimento ao longo de toda a circum-navegação mundial.

quinta-feira, 31 de março de 2011

Nanotecnologia pode viabilizar hidrogénio como combustível

A empresa britânica Cella Energy apresentou uma nova tecnologia que promete aemazenar o hidrogénio de forma simples e segura, tornando o seu consumo viável em larga escala. A Cella Energy usa hidretos - substâncias que absorvem o hidrogénio como uma esponja - para construir fibras minúsculas que são aprisionadas em nanocápsulas de plástico. A estratégia dispensa o armazenamento de hidrogénio sob temperaturas muito baixas ou pressões muito altas e facilita seu manuseamento em bombas de combustível e tanques de carros. Os criadores garantem que o hidrogénio aprisionado nas nanocápsulas se comporta como líquido, com a vantagem de não se inflamar facilmente. Para oferecê-lo ao consumidor, a infra-estrutura de postos teria de passar por mínimas modificações, segundo os investigadores. A ideia é dar aos motoristas a mesma experiência que têm agora. «A maioria das pessoas está acostumada a levar três minutos para encher o tanque e andar 450 quilómetros com o carro», disse Stephen Voller, presidente da Cella Energy. «A nossa tecnologia permite a mesma experiência com o hidrogénio, algo que os carros eléctricos não conseguem». Segundo Voller, o hidrogénio poderia ser uma alternativa economicamente viável se as nanocápsulas forem produzidas a partir de fontes renováveis, como a energia eólica e a solar.

Governo lança concurso público para veículos eléctricos


Foi lançado o primeiro concurso público para celebração do acordo quadro de Veículos Eléctricos em Portugal. De acordo com uma nota publicada no Portal do Governo, o concurso lançado a 16 de Março pela Agência Nacional de Compras Públicas (ANCP) “constitui o primeiro passo para a concretização da medida de incentivo ao uso de veículos eléctricos”, que tem como objectivo “a aquisição anual de 20 por cento de viaturas automóveis eléctricas em processos de renovação da frota da administração pública”.

Na sequência da Resolução de Conselho de Ministros n.º 81/2009, de 20 de Agosto de 2009, esta consulta constitui o primeiro passo para a concretização da medida de incentivo ao uso dos veículos eléctricos que aponta para a aquisição anual de 20 por cento de viaturas automóveis eléctricas em processos de renovação da frota da administração pública.

Este procedimento integra-se nos trabalhos preparatórios do lançamento de concurso público com vista à celebração do acordo quadro e visa identificar as melhores soluções para as necessidades da apública nesta área de fornecimento.

O documento de suporte relativo à consulta pública, bem como os termos e condições em que a mesma decorre, encontram-se disponíveis no portal da ANCP, na página ‘Consultas Públicas’. Na nota emitida a 21 de Março pelo Ministério das Finanças e da Administração Pública é também anunciado um outro concurso público para Viagens, Alojamento e Transporte Aéreo, que se destina a “qualificar e a seleccionar os melhores prestadores de serviços de Viagens, Alojamentos e Transporte Aéreo”, com o objectivo de “racionalizar os processos de compra e obtenção de ganhos de eficiência”.

Estes dois concursos públicos são os primeiros a ser lançados em 2011 pela ANCP.

quarta-feira, 30 de março de 2011

Hidrogénio pode integrar Iniciativa Smart Cities


Na sua comunicação «Energia 2020 - Uma estratégia para a energia competitiva, sustentável e segura», a Comissão Europeia desafiou a iniciativa Smart Cities para a eficiência energética e para acelerar a implantação em larga escala de tecnologias inovadoras e de baixo carbono.

Em Fevereiro, o Conselho Europeu convidou a Comissão a lançar uma iniciativa industrial para "soluções de poupança de energia nas cidades".


Em linha com esta orientação, a Iniciativa Cidades e Comunidades Inteligentes conta com a estrutura organizacional do SET-Plan. Numa próxima etapa, a Comissão pretende criar um fórum de encontro dos interessados neste domínio e estruturar o diálogo. Numa fase posterior, a iniciativa pode evoluir para uma Parceria de Inovação, conforme o previsto na Comunicação da Comissão sobre a União de Inovação, de 6 de outubro de 2010.


As partes interessadas são convidadas a contribuir para uma consulta on-line até 13 maio de 2011.

HyRaMP estende-se à mobilidade eléctrica


O HyRaMP - Parceria Europeia das Regiões e Municípios para a hidrogénio e células de combustível, criado em Abril de 2008, em colaboração com a Comissão Europeia, começou a trabalhar na preparação de sua expansão para uma Parceria Europeia das Regiões e dos Municípios na Mobilidade Eléctrica.


Memos do HyRaMP e não-membros foram chamados a criar o primeiro esboço da "Parceria HyRaMP ampliada ". Dentro deste esforço, o HyRaMP realizou já o primeiro seminário sobre a temática em Fevereiro, em Bruxelas. No total, estiveram presentes no evento mais de 32 participantes, representando cerca de 20 diferentes regiões da Europa e dos Municípios.


As principais apresentações foram feitas pelo conselho do HyRaMP, representantes da Comissão Europeia, bem como de representantes Estugarda, na Alemanha, Amesterdão e Roterdão, na Holanda, e North East England, Reino Unido. Cada apresentação deu uma visão sobre as actividades de mobilidade eléctrica que estão a ser desenvolvidas na região.

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Célula de combustível alimenta equipamentos móveis


Foi apresentado durante o Mobile World Congress, realizado em Barcelona na semana passada, um sistema de alimentação a hidrogénio para notebooks e outros equipamentos móveis. O sistema é composto de uma célula de combustível alimentada a hidrogénio, fornecida pela Powertrekk.

Ao gerar a energia necessária para alimentar o equipamento, a célula produz apenas vapor de água como subproduto. Os cartuchos de hidrogénio estão a ser colocados no mercado com capacidades para alimentar células a combustível de 1 watt até 3 kilowatts. Isto significa que são capazes não só de recarregar telemóveis, notebooks, GPS e outros produtos portáteis, mas também de alimentar equipamentos com consumo significativo de energia.

Uma célula a combustível com o cartucho de maior capacidade pode alimentar uma bicicleta eléctrica até 160 quilómetros, a uma velocidade de 40 km/h.